Loading

António Fortuna

Sonata ao Douro

Sonata ao Douro

2010

DOURO

(Emoções)

Deslizo para o topo de um Outeiro

Rasgado de socalcos e vinhedos.

Por certo o rasgou Homem sem medos,

Por certo a trabalhar desde Janeiro.

  

De céu a cobertura por inteiro

Deu sol e chuva à seiva dos segredos

Que brotam entre xistos e penedos

E descem pelo rio num "veleiro"

  

Levantam-se meus olhos à grandeza

Do rio que nos tem em cativeiro

Ao qual nos agarramos com nobreza.

  

Quem me dera o amor do jardineiro

Que consegue escrever na Natureza

Emoções que me ficam no tinteiro...!




Nenhum comentário


Deixe o seu comentário: